Cirurgia para glaucoma

Cirurgia para glaucoma: quando é indicada?

O glaucoma é o aumento da pressão dentro do olho. Quando o fluido do olho não consegue ser drenado da maneira que deveria, isso pode danificar o nervo óptico e prejudicar a visão. A cirurgia para glaucoma, geralmente, não é o primeiro passo para tratar a doença, mas pode salvar a visão, caso outros tratamentos não funcionem.

Quando a cirurgia para glaucoma pode ajudar?

Antes de indicar a cirurgia, o oftalmologista irá prescrever colírios ou medicamentos orais para tentar diminuir a pressão ocular. Se os medicamentos não funcionarem, a cirurgia é o próximo passo.

No caso de efeitos colaterais graves, como pressão alta, batimentos cardíacos acelerados ou impotência, a cirurgia também é a melhor saída. Algumas pessoas precisam disso imediatamente se a pressão ocular for alta e colocar a visão em risco.

A maioria dos casos de glaucoma pode ser controlado com um ou mais medicamentos. No entanto, em alguns casos a cirurgia pode ser preferida ou mais eficaz. Às vezes, o procedimento pode eliminar a necessidade de colírios. Mas, nem sempre é esse o caso.

Atualmente, mais pacientes escolhem colírios do que o laser ou cirurgia como seu primeiro tratamento para glaucoma. No entanto, um grande estudo descobriu que indivíduos com sérios danos por glaucoma se saíram tão bem ou melhor com cirurgia como primeira opção de tratamento, quanto aquele que optou pelo colírio.

Pacientes que consideram a cirurgia uma boa primeira opção são pessoas que podem tolerar um risco um pouco maior, assim como aqueles que sentem que geralmente não são bons em lembrar de tomar medicamentos. 

Tipos de cirurgia para glaucoma

Primeiramente, os médicos podem tentar a cirurgia a laser. Esse tipo de tratamento pode ser realizado no consultório ou em uma clínica. O paciente poderá voltar para casa após o procedimento e retomar a sua rotina normal no dia seguinte.

O laser é um feixe de luz intensa, cujo objetivo é ajudar a abrir tubos entupidos e drenar o fluido. Pode demorar algumas semanas para ver os resultados completos.

Todos os procedimentos de cirurgia de glaucoma (laser ou não) são projetados para obter um dos dois resultados básicos: diminuir a produção de líquido intra-ocular ou aumentar a vazão (drenagem) desse mesmo fluido. Ocasionalmente, um único procedimento realizará ambos os objetivos.

Atualmente, o objetivo da cirurgia de glaucoma é reduzir ou estabilizar a pressão intra-ocular. Quando alcançado, os danos às estruturas oculares pode ser evitado.

Entenda a cirurgia para glaucoma

A cirurgia de glaucoma cria uma nova abertura para a drenagem de fluidos. Alguns estudos recentes indicam que um procedimento a laser, conhecido como trabeculoplastia seletiva a laser (SLT) pode ser tão eficaz quanto o colírio para glaucoma, para diminuir a pressão ocular interna.

O procedimento pode ser considerado um tratamento primário, principalmente para pessoas que acham difícil cumprir o cronograma estrito e regular, necessário para administrar colírios.

Outro procedimento chamado trabeculectomia cria uma área de drenagem artificial. Esse método é usado em casos de glaucoma avançado, em que ocorreu dano no nervo óptico e a pressão ocular continua a subir. Uma terceira opção comum é uma derivação, um dispositivo implantado no olho para melhorar a drenagem de fluidos.

Riscos do procedimento

Os riscos da cirurgia geralmente podem ser agrupados em incômodos e perigosos. Entre os primeiros, os pacientes têm uma pequena sensação de incômodo. Na maioria das vezes, isso melhora rapidamente. Para 1-2% dos pacientes, a sensação na área cirúrgica é muito problemática e a cirurgia de revisão é feita para aliviá-la. 

Problemas mais sérios incluem o desenvolvimento de uma pressão ocular tão baixa que a visão é ruim, exigindo cirurgia de revisão para aumentar a pressão. As infecções ocorrem logo após a cirurgia em um a cada 5.000 olhos. Com o tempo, há uma chance contínua de que a área da cirurgia torne o olho mais suscetível a infecções posteriores, que requerem tratamento intensivo, cirurgia de revisão e raramente perda severa da visão. 

A catarata (lente nebulosa) ocorre com mais frequência após a cirurgia para glaucoma. De fato, há evidências de que todos os tratamentos para glaucoma aceleram o desenvolvimento da catarata. Embora isso seja indesejável, a catarata é removível cirurgicamente.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oftalmologista em São Paulo!

Comentários

Posted by Dra. Erika Uchida