Entrópio

Entrópio: Você sabe o que é?

Entrópio, também conhecido como retração palpebral ou retração da pálpebra, é uma doença caracterizada, basicamente, por um processo em que a pálpebra se vira para dentro do olho. Os cílios entram em contato com os olhos e podem causar processos de irritação, inflamação, infecção e até mesmo desgaste na córnea ocular, levando eventualmente a perda parcial ou total da visão.

O problema costuma se manifestar com maior frequência em pessoas acima dos 60 anos de idade. A evolução da doença é extremamente lenta, o que faz com que seu surgimento não seja perceptível nos estágios iniciais. Em nível mais avançado, no entanto, a condição deteriora a qualidade da visão do paciente rapidamente, já que a agressão dos cílios ao globo ocular passa a ser constante.

Causas do Entrópio

A principal causa do entrópio é o enfraquecimento muscular na região das pálpebras, causando uma espécie de afrouxamento que favorece a mudança de posição daquela parte do corpo.

Esse enfraquecimento, por sua vez, pode ser causado por alguns fenômenos, entre eles:

  • A chegada da terceira idade, uma vez que, durante a velhice, a pele se afrouxa naturalmente, graças a perda de colágeno. Isso favorece o desenvolvimento da doença;
  • Uma condição congênita (ou seja, que já nasce junto com a pessoa). Nesse caso, o problema de saúde é descoberto, geralmente, logo após o nascimento do bebê. Esse tipo de manifestação da doença, no entanto, é extremamente raro;
  • Ação de produtos químicos na região dos olhos, que podem interferir na forma e na estrutura dos olhos, ocasionando deformidades na pálpebra;
  • Sequelas pós-cirúrgicas, geralmente após cirurgias que ocorrem na região da face, cabeça ou, obviamente, dos olhos;
  • Herpes que se desenvolve na região dos olhos;
  • Doenças bacterianas raras, como o Tracoma, uma doença que existe apenas em determinadas regiões do continente africano, asiático e no Oriente Médio.

Quais são os sintomas?

O diagnóstico da doença nos estágios iniciais, antes do desenvolvimento da deformidade em si, é difícil porque os primeiros sintomas do problema são muito genéricos.

Os sintomas são:

  • Olhos lacrimejando sem motivos ou excessivamente;
  • Infecções sucessivas e frequentes na região afetada;
  • Vermelhidão;
  • Aparição de sinais ou cicatrizes na pálpebra atingida;
  • Perda progressiva de visão;
  • Coceira, em alguns casos.

Depois que a doença atinge determinado estágio, a deformidade da pálpebra se torna perceptível e, assim, o diagnóstico fica mais fácil. O profissional de saúde mais indicado para atender um caso da doença e ministrar o tratamento adequado é o oftalmologista.

Tratamento

Quando a doença ainda está nos primeiros estágios de desenvolvimento da deformidade, é possível que o médico opte por um tratamento simples, em que a pálpebra afetada é presa, voltada para o lado certo, algumas horas por dia. Essa dinâmica faz com que, a longo prazo, a região afetada volte ao normal.

Alguns oftalmologistas também podem recomendar o tratamento com injeções de Botox, que também têm a função de fixar a pálpebra na direção certa.

Na maior parte dos casos, o tratamento mais indicado é a cirurgia. O procedimento é simples e pode ser realizado dentro do próprio consultório. A anestesia é local e o pós-operatório relativamente simples.

Quer saber mais sobre entrópio? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oftalmologista em São Paulo.

Comentários

Posted by Dra. Erika Uchida

Deixe uma resposta