Glaucoma

Glaucoma: conheça os tipos da doença

Em breve, haverá 80 milhões de pessoas no mundo com alguma forma de glaucoma. Essa estimativa é baseada em pesquisas que examinaram milhares de adultos, selecionados aleatoriamente em quase todos os continentes.

Outro fator responsável pelo aumento do glaucoma no mundo é a proporção de pessoas idosas na população, em comparação com os mais jovens. O glaucoma é uma doença que afeta, em geral, pessoas mais velhas. A doença é a segunda principal causa de cegueira no mundo.

Frequentemente, a causa da alta pressão ocular pode ajudar a identificar o tipo de glaucoma e o melhor tratamento para ele. Ambos os principais tipos têm a palavra “ângulo” em seu nome.

O ângulo é uma zona circular na parte interna do olho, onde a córnea, a parede frontal clara do olho, encontra a íris, a parte azul ou marrom do olho. Essa área angular percorre toda a parte do olho onde a esclera branca e a íris colorida se encontram.

Em geral, um indivíduo tem um ângulo aberto ou um ângulo estreito a fechado. Isso é determinado pelo exame chamado gonioscopia.

Fatores de risco para o glaucoma

As duas formas mais comuns aumentam com a idade avançada. Aos 40 anos, menos de uma em cada 100 pessoas têm glaucoma, enquanto no público com 80 anos ou mais, quase uma em cada dez pessoas é afetada.

Essas taxas são diferentes, dependendo da derivação étnica e de outros fatores. Por exemplo, os afro-americanos têm quatro vezes mais glaucoma de ângulo aberto do que as pessoas de origem européia. Para o glaucoma de ângulo fechado, os asiáticos têm quatro vezes mais do que as pessoas de origem européia ou africana.

Naqueles com glaucoma, a maioria (cerca de dois terços) têm a forma chamada glaucoma de ângulo aberto. Somente nos Estados Unidos, estima-se que haja 2,5 milhões de adultos com glaucoma de ângulo aberto, cerca de 500.000 com glaucoma de ângulo fechado. Ainda, há outras 5 a 10 milhões de pessoas potencial risco para o glaucoma, devido a fatores de risco. 

Tipos de glaucoma

Os dois tipos principais são marcados por um aumento da pressão intra-ocular (PIO) ou pressão dentro do olho.

Saiba mais, a seguir.

Glaucoma de ângulo aberto

Este é o tipo mais comum. No glaucoma de ângulo aberto, o fluido aquoso é drenado muito lentamente e a pressão dentro do olho se acumula. Geralmente, resulta do envelhecimento do canal de drenagem, que não funciona tão bem ao longo do tempo.

No entanto, as pessoas mais jovens também podem obter esse tipo de glaucoma. Este tipo é responsável por pelo menos 90% de todos os casos de glaucoma.

Glaucoma de ângulo fechado

Pessoas de ascendência asiática e nativa americana estão em maior risco para essa forma de glaucoma. Ocorre quando o sistema de drenagem do olho fica bloqueado. Causa um aumento repentino de pressão, exigindo atendimento médico de emergência.

Os sinais geralmente são graves e podem incluir visão turva, fortes dores de cabeça, dor nos olhos, náusea, vômito ou ver auréolas em forma de arco-íris ao redor das luzes. Ocasionalmente, a condição pode não apresentar sintomas.

Também é chamado glaucoma agudo ou glaucoma de ângulo estreito. Ao contrário do glaucoma de ângulo aberto, o glaucoma de ângulo fechado é resultado do ângulo entre a íris e o fechamento da córnea.

Glaucoma de tensão normal

Esta é uma forma de glaucoma de ângulo aberto não relacionado à alta pressão. Pessoas com glaucoma de tensão normal podem ser extraordinariamente sensíveis aos níveis normais de pressão. O suprimento sanguíneo reduzido para o nervo óptico também pode desempenhar um papel no glaucoma de tensão normal.

Também chamado de glaucoma de baixa tensão ou pressão normal. Nesse tipo, o nervo óptico é danificado, embora a pressão ocular não seja muito alta. Ainda não sabemos por que os nervos ópticos de algumas pessoas estão danificados, apesar de terem níveis de pressão quase normais.

Glaucoma congênito

Este tipo de glaucoma ocorre em bebês, quando há desenvolvimento incorreto ou incompleto dos canais de drenagem ocular, durante o período pré-natal. Essa é uma condição rara que pode ser herdada. Quando descomplicada, a microcirurgia geralmente pode corrigir os defeitos estruturais do olho. Outros casos são tratados com medicação e cirurgia.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oftalmologista em São Paulo!

Comentários

Posted by Dra. Erika Uchida