oftalmologista

Primeira consulta com o oftalmologista: saiba como se preparar

Não existe idade certa para começar a cuidar da visão. O mais aconselhável é o acompanhamento por um oftalmologista desde a gestação e ir se prolongando ao longo de toda a vida. Para cada fase existem preocupações e análises específicas.

Os bebês devem ter seu primeiro contato com o oftalmologista logo após o nascimento, afim de detectar possíveis doenças. À medida que crescem, as consultas visam diagnosticar problemas de acuidade visual, entupimento do canal lacrimal etc. É importante, nessa hora, relatar possíveis casos incomuns, como dificuldade de enxergar as letras, visão embaçada e dor de cabeça.

Se a pessoa fizer a primeira visita ao oftalmologista quando já for adulto, o mais indicado é que relate todo o histórico de qualidade visual e problemas apresentados por outros membros da família. Casos de vista cansada e diminuição do campo visual são mais comuns essa época da vida.

Ao longo dos anos, o indivíduo que já mantém acompanhamento com um especialista precisa trocar de oftalmologista. Pode ocorrer por mudança de endereço, questões relacionadas a plano de saúde, alterações de problema de visão, profissional que para de atender, insatisfação com serviço prestado, entre outros. É muito importante que se tenha uma preparação e alguns passos sejam observados ao se recomeçar o tratamento.

Antes da consulta, é necessário reunir todos os resultados dos exames já feitos durante o acompanhamento com o profissional anterior. Como em qualquer situação clínica, cada pessoa tem um histórico médico que deve ser apresentado para agilizar o processo, evitando novo mapeamento da condição visual, o que pode atrasar a continuidade do tratamento.

No primeiro encontro com o novo oftalmologista, não se deve omitir nenhuma informação. É essencial falar sobre quando e o que levou a se procurar acompanhamento médico, abordando todo o processo decorrido com outros profissionais. É importante pontuar procedimentos já foram realizados e há quanto tempo foram feitos os últimos exames. Por fim, devem ser ressaltados os sintomas atuais e as dificuldades sentidas. Esses passos facilitarão a relação entre as partes para que o atendimento seja o melhor possível.

Histórico de saúde e familiar

Diversas questões oftalmológicas têm ligação direta com outras enfermidades, como diabetes, hipertensão, doenças infectocontagiosas, etc. Por isso, é fundamental descrever  quadro de saúde atual. Se houver alguma doença, é importante informar como é o controle, medicamentos, complicações derivadas, entre outros. A transparência é imprescindível nesse momento, pois alguns medicamentos e procedimentos interferem no sucesso do tratamento da visão.

Existem doenças hereditárias que se manifestam ao longo da vida, como é o caso do glaucoma, catarata e algumas anomalias que acometem a córnea e a retina. Assim, é necessário informar ao especialista a ocorrência de problemas com membros da família.

Itens inseparáveis

Na primeira consulta é praticamente obrigatório levar os óculos, colírios e lentes usados. Não apenas para uma apresentação ao oftalmologista, mas para sua análise quanto à assertividade no tratamento. Caso perceba algo estranho, ele solicitará exames para corrigir problemas e achar soluções precoces.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oftalmologista em São Paulo!

Comentários

Posted by Dra. Erika Uchida