conjuntivite

6 tipos de conjuntivite

6 tipos de conjuntivite

A conjuntivite é uma inflamação ou inchaço da conjuntiva, que é a fina camada transparente de tecido que reveste a superfície interna da pálpebra e cobre a parte branca do olho. Frequentemente chamada de “olho rosa”, a conjuntivite é uma doença ocular comum, especialmente em crianças. Ela pode afetar um ou ambos os olhos.

Algumas formas de conjuntivite são altamente contagiosas e podem se espalhar facilmente nas escolas e em casa. Embora a conjuntivite seja uma infecção ocular simples, às vezes pode evoluir para um problema mais sério.

Sintomas da conjuntivite

Pessoas com conjuntivite podem apresentar os seguintes sintomas:

  • sensação arenosa em um ou nos dois olhos;
  • prurido ou sensação de queimação em um ou nos dois olhos;
  • lacrimejamento excessivo;
  • pálpebras inchadas;
  • descoloração rosa nos brancos de um ou dos dois olhos;
  • maior sensibilidade à luz.

O que causa a conjuntivite?

Existem três tipos principais de conjuntivite: alérgica, infecciosa e química. A causa da conjuntivite varia de acordo com o tipo. Uma infecção viral ou bacteriana pode causar o distúrbio.

A doença também pode se desenvolver devido a uma reação alérgica a substâncias irritantes do ar, como pólen e fumaça, cloro em piscinas, ingredientes em cosméticos ou outros produtos que entram em contato com os olhos, como lentes de contato. Doenças sexualmente transmissíveis, como clamídia e gonorreia, são causas menos comuns de conjuntivite.

Tipos de conjuntivite

1. Conjuntivite alérgica

Ocorre mais comumente entre pessoas que já têm alergias sazonais. O problema é desenvolvido quando existe contato com uma substância que desencadeia reação alérgica nos olhos.

2. Conjuntivite papilar gigante

É um tipo de conjuntivite alérgica causada pela presença crônica de um corpo estranho no olho. As pessoas que usam lentes de contato rígidas ou gelatinosas – que não são substituídas com frequência -, são mais propensas a desenvolver essa forma de conjuntivite.

3. Conjuntivite infecciosa ou bacteriana

É uma infecção causada com mais frequência por bactérias estafilocócicas, ou estreptocócicas, de sua própria pele ou sistema respiratório. Insetos, contato físico com outras pessoas, falta de higiene (tocar o olho com mãos sujas) ou usar maquiagem e loções faciais contaminadas também podem causar a infecção.

Compartilhar maquiagem e usar lentes de contato que não são suas, ou que são limpas incorretamente, também podem causar conjuntivite bacteriana.

4. Conjuntivite viral

É causada por vírus contagiosos, associados ao resfriado comum. Pode desenvolver-se através da exposição à tosse ou espirro de alguém com uma infecção do trato respiratório superior. A conjuntivite viral também pode ocorrer quando o vírus se espalha pelas membranas mucosas do corpo, que conectam os pulmões, a garganta, o nariz, os canais lacrimais e a conjuntiva. 

5. Conjuntivite neonatal

É uma forma grave de conjuntivite bacteriana que ocorre em recém-nascidos. Esta é uma condição séria que pode levar a danos permanentes nos olhos, se não for tratada imediatamente. A oftalmia neonatal ocorre quando uma criança é exposta à clamídia ou gonorreia, enquanto passa pelo canal de parto. 

6. Conjuntivite química

Pode ser causada por substâncias irritantes, como poluição do ar, cloro nas piscinas e exposição a produtos químicos nocivos.

Diagnóstico e tratamento da doença

A conjuntivite pode ser diagnosticada através de um exame oftalmológico. O tratamento adequado para a conjuntivite depende de sua causa e tem três objetivos principais:

  • aumentar o conforto do paciente;
  • reduzir ou diminuir o curso da infecção ou inflamação;
  • impedir a propagação da infecção em formas contagiosas de conjuntivite.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oftalmologista em São Paulo!

Posted by Dra. Erika Uchida in Todos
O que fazer em caso de surto de conjuntivite?

O que fazer em caso de surto de conjuntivite?

A conjuntivite é uma doença que, esporadicamente, provoca surtos em diferentes regiões do Brasil. Os casos mais recentes afetaram 2,5 mil pessoas no Mato Grosso do Sul. Em Minas Gerais, foram registrados 118 casos da doença.

Um surto é confirmado quando há um aumento considerável e repentino no número de casos de uma doença em determinada região. Ou seja, em cada episódio pode ocorrer diferentes casos de contaminação.

O que fazer se a sua cidade for atingida por um surto de conjuntivite? Descubra, a seguir.

O que é conjuntivite?

A conjuntivite é uma inflamação que acomete a membrana externa do globo ocular e o interior das pálpebras. A doença é classificada nos tipos infecciosa, alérgica ou tóxica. Quando é infecciosa, pode ser causada por vírus, bactérias ou fungos. Por isso, é o tipo mais comum, pois é altamente transmissível.

O tipo alérgica é decorrente de alergia, que pode ser causada por ácaros ou por pólen. Não é contagiosa e pode se apresentar nas formas sazonais, ceratoconjuntivite atópica, primaveril ou papilar gigante.

A tóxica ocorre quando os olhos são expostos a produtos de limpeza, venenos agrícolas, inseticidas ou outros produtos químicos altamente tóxicos. Esse é o tipo mais raro da doença e também o mais perigoso.

Quais são os sintomas?

Os principais sintomas são:

  • olhos vermelhos;
  • coceira;
  • olhos lacrimejantes;
  • pálpebras inchadas;
  • secreção;
  • sensação de areia ou cisco nos olhos;
  • pálpebras grudadas ao acordar;
  • dor ao olhar para a luz.

Cuidados em casos de surto

Quando ocorrem os surtos da doença, a população precisa ser orientada para que não ocorra o aumento contínuo no número de casos. Por isso, preparei essa lista com 13 ações de prevenção de contágio.

  • Não compartilhe itens pessoais, como óculos, toalhas, maquiagem, entre outros produtos para os olhos;
  • Caso cubra o nariz ao espirrar, ou a boca ao tossir, evite encostar a mão nos olhos;
  • Não compartilhe suas lentes de contato;
  • Mantenha as mãos limpas;
  • Procure manter um álcool gel ou outro desinfetante por perto;
  • Mantenha as superfícies limpas com antisséptico;
  • Caso sofra de alergias, procure saber o que fazer para minimizar os sintomas;
  • Sempre utilize óculos de natação ao nadar;
  • Tenha lenços com você para limpar ou secar os olhos;
  • Não use maquiagem ou lentes de contato quando estiver com os olhos irritados;
  • Procure trocar diariamente as toalhas e fronhas de travesseiros;
  • Se precisar lavar os olhos, utilize apenas água filtrada;
  • Para evitar uma nova contaminação, evite utilizar itens pessoais que tiveram contato com os olhos no período da doença.

Pronto, agora você já sabe o que fazer em casos de surto de conjuntivite. Eduque seus amigos e familiares para que eles também ajudem na redução dos casos.
Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oftalmologista em São Paulo!

Posted by Dra. Erika Uchida in Todos
7 dicas para evitar a conjuntivite

7 dicas para evitar a conjuntivite

Se você nunca teve conjuntivite, certamente conhece alguém que teve. A alteração ocular ocorre quando a conjuntiva – tecido que reveste a membrana dos olhos – sofre uma inflamação ou infecção. 

Ela pode ter causa alérgica, bacteriana ou viral, podendo, por exemplo, ser desencadeada por excesso de poluição, exposição a agentes químicos, falta de lubrificação e contaminação. 

Independentemente do fator, o problema gera muito incômodo. Entre os principais sintomas estão os olhos avermelhados e inchados, além de secreção ocular, pálpebras grudadas e sensação de areia no olho. Pode haver ardor, coceira, visão embaçada e sensibilidade à luz.

A conjuntivite é facilmente transmissível, mas é possível prevenir. Confira, a seguir, a lista com dicas simples para evitar a infecção ou inflamação da conjuntiva. Vem comigo!

Como prevenir a conjuntivite?

1# Lave as mãos com frequência

Tanto a conjuntivite bacteriana quanto a conjuntivite viral podem ser transmitidas pelo contato com as mãos contaminadas por secreções de olhos doentes. Por isso, é importante cuidar da higiene das mãos e lavá-las várias vezes ao dia. Vale a pena levar álcool em gel por onde for, a fim de manter as mãos limpas, mesmo quando ficar impossibilitado de lavá-las.

2# Não coce os olhos

É normal bater aquela vontade incontrolável de levar as mãos até os olhos e coçá-los, mas resista! Essa prática é muito prejudicial, pois, além de aumentar o risco de conjuntivite, pode causar lesões oculares e até ulcerações mais sérias.

3# Limpe objetos compartilhados

Se várias pessoas utilizam objetos, como controle remoto, telefone e teclado, é importante limpar esses itens com álcool 70%. Esse cuidado reduz significativamente as chances de contaminação.

4# Não se aproxime de pessoas infectadas

Se alguém próximo estiver com conjuntivite, se distancie temporariamente. Evite tocar nos mesmos objetos que essa pessoa. Isso mesmo! Mantenha-se afastado de toalhas, lençóis, fronhas, talheres, etc. O contato direto, incluindo gestos de afeto, como beijos e abraços, também devem ser evitados.

5# Tome cuidado com o que pega

Em locais públicos, evite pegar parede, corrimão de escada, assentos, móveis, bancadas de pia, guarda corpo, entre outras coisas que possam ser alvo de contaminação. Ambientes com muitas pessoas são mais propensos à contaminação. Fica a dica!

6# Não compartilhe maquiagem

Artigos de uso pessoal, como delineador, lápis de olho, rímel, colírio, sombra, lenços e pincéis de maquiagem não devem ser compartilhados, entendido? Ainda que emprestar esses itens para amigas possa parecer algo inofensivo, tal atitude é perigosa e pode colocar a sua saúde ocular em risco.

7# Use lentes de contato adequadamente

Se você é usuário de lentes de contato, procure utilizá-las da maneira correta. Respeite a validade das lentes, lave as mãos para colocá-las, higienize-as em solução específica e armazene-as no estojo apropriado. A má utilização das lentes de contato é um fator de risco para doenças infecciosas nos olhos, como a conjuntivite.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oftalmologista em São Paulo!

Posted by Dra. Erika Uchida in Todos