Existem diferentes tipos de problemas oculares que podem causar bastante incômodo e desconforto nas pessoas, principalmente aqueles que são visíveis e palpáveis, tais como: terçol e calázio.

Neste post, iremos falar sobre este último. A seguir, conheça tudo o que você precisa saber sobre essa inflamação.

O que é calázio?

Trata-se de uma inflamação que acomete as glândulas de Meibômio, um tipo de glândula sebácea localizada nas raízes dos cílios e que produz uma secreção gordurosa. Em função do processo inflamatório, estas glândulas são obstruídas, o que causa a formação de cistos.

Assim, os calázios podem surgir em pessoas de qualquer gênero e idade. Geralmente, são nódulos indolores, visíveis ou palpáveis que surgem na pálpebra e crescem gradualmente. Apesar de ser raro, em algumas situações podem causar edema, eritema e dor palpebral.

Ainda, nos casos em que estes nódulos evoluem, eles podem aumentar de tamanho e pressionar a córnea, iniciar um quadro de astigmatismo e deixar a visão borrada.

Diferente do que muitas pessoas pensam, o terçol é uma condição diferente do calázio. Porém, mesmo também sendo uma inflamação, o inchaço surge na borda da pálpebra e não há um nódulo. Além disso, os sintomas são mais intensos, tais como, inchaço, dor e ardência.

Quais são as causas?

Trata-se de lesão inflamatória crônica causada pela retenção de secreção nas glândulas de Meibômio que pode ser provocada pela oleosidade da pele ou pelos quadros de acne rosácea ou blefarite. 

Ademais, o calázio também pode surgir em pessoas que possuem seborreia ou conjuntivite recorrente, pois são condições que podem obstruir as glândulas sebáceas.

Quais são os sintomas?

Quando há a obstrução, o acúmulo de secreção se inicia e, em pouco tempo, surge um nódulo na pálpebra superior ou inferior, sendo o sintoma mais característico. Este nódulo é semelhante a um caroço arredondado e cresce lentamente na primeira semana.

Além disso, o indivíduo pode apresentar inchaço nas pálpebras, dor e irritação nos olhos. Outro possível sintoma é a visão turva, que ocorre quando o nódulo exerce pressão sobre o globo ocular.

Quando preciso buscar tratamento?

Na maioria dos casos, o diagnóstico não é possível nos primeiros dias. Porém, ele é feito a partir do exame clínico do paciente. Nem sempre o tratamento é necessário, pois costumam se resolver espontaneamente.

Caso haja o desejo em acelerar esse processo, os profissionais de saúde recomendam a realização de compressas de água quente durante cinco a dez minutos e até três vezes por dia. 

Porém, quando o calázio é crônico e persiste, pode ser necessário realizar a biópsia para verificar se há a formação de um carcinoma sebáceo, um tumor da pálpebra. Este diagnóstico é mais comum em idosos que sofrem com o problema de forma recorrente.

Outra possibilidade de tratamento, quando o quadro de carcinoma é descartado, é a remoção cirúrgica do nódulo realizada por meio de incisão do cisto para que o seu conteúdo seja esvaziado.

Contudo, se o cisto está próximo ao ponto lacrimal, o risco cirúrgico é aumentado, o que faz com que os profissionais prefiram realizar a injeção de esteroides. 

Estas são as informações mais relevantes sobre o calázio. Agora, você já sabe reconhecer a presença dele e conhece as alternativas de tratamento.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oftalmologista em São Paulo!