O corpo humano é uma máquina perfeita e totalmente integrada. Quando algo não vai bem em algum órgão, surgem sintomas para nos informar a ocorrência de um problema. Um exemplo é miocimia que, dentre outras coisas, podem indicar a elevação da pressão.

Você já ouviu falar nessa condição? Neste post, falaremos sobre suas causas e tratamentos. Então, se você ficou interessado, continue a leitura.

O que é miocimia?

Trata-se de um espasmo repetitivo e involuntário dos músculos da pálpebra, fazendo com que ela se contraia. Geralmente, o problema ocorre na pálpebra superior, mas também pode surgir na parte inferior.

Ainda, os espasmos costumam ser leves e semelhantes a um puxão na pálpebra ou a sensação de tremor nos olhos. No entanto, mesmo que em menor recorrência, as contrações podem ser fortes o suficiente para que as duas pálpebras se fechem completamente, caracterizando um blefarospasmo.

Ademais, a miocimia é uma condição que ocorre de forma imprevisível e pode durar de poucos segundos ou até dois minutos. Não é incomum que esses espasmos se repitam por vários dias seguidos, levando até meses para cessar.

Embora possa trazer incômodo, desconforto e afetar a autoestima do paciente, as contrações não causam dor e nem trazem prejuízos a sua saúde.

Por que ocorre?

O surgimento da miocimia está associado a alguma condição de saúde subjacente. Entre as mais comuns estão o estresse, a falta de sono, irritação ocular, fadiga, excesso de esforço físico, uso de álcool, tabaco ou cafeína e, em casos raros, distúrbio crônico de movimento. 

No entanto, quando não desaparecem espontaneamente e se tornam crônicas, as contrações podem estar relacionadas à síndrome do olho seco, conjuntivite, sensibilidade à luz (fotofobia) ou a uma blefarite.

Em situações raras, a miocimia pode se agravar e causar complicações. Isso ocorre quando sua causa está associada ao cérebro ou aos nervos, como, por exemplo, nos casos de paralisia de Bell, síndrome de Tourette, esclerose múltipla, mal de Parkinson, distonia cervical, entre outros.

Como é o tratamento?

Na maioria dos casos, essa condição não precisa de um tratamento específico, bastando apenas controlar ou eliminar os hábitos que podem vir a causá-la, tais como:

Ademais, também recomenda-se a utilização de lágrimas artificiais ou colírios para lubrificar os olhos e a aplicação de compressas de água morna sobre os olhos quando os espasmos começarem. Nem sempre a contração traz incômodo aos pacientes, que podem não tratá-lo.

Entretanto, se houver um problema de saúde relacionado, ele deve ser o foco do tratamento. Ainda, a prática de exercícios de baixa intensidade pode reduzir a frequência dos espasmos. Da mesma forma, podem ser prescritos medicamentos anti-convulsionantes.

Enfim, a miocimia é uma condição de baixa periculosidade, mas que deve ser investigada e tratada. Como você pode perceber, às vezes, apenas a mudança no estilo de vida é suficiente para os espasmos pararem.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oftalmologista em São Paulo!